"bad day"

Had a bad day again
She said i would not understand
She left a note and said i'm sorry I
I had a bad day again

She spilled her coffee broke a shoelace
Smeared the lipstick on her face
Slammed the door and said i'm sorry I
I had a bad day again

And she swears there's nothing wrong
I hear her playing that same old song
She puts me up and puts me on
And had a bad day again
She said i would not understand
She left a note and said i'm sorry i
I had a bad day again

[...]

And she swears theres nothing wrong
I hear her playing that same old song
She puts me up, and puts me on
Whoa and i've had a bad day again
She said i would not understand
She left a note and said i'm sorry I
I had a bad day again
Left a note and said i'm sorry I
I had a bad day...


[Bad Day - Fuel]




Assim como eu tenho meu tema pra dias felizes (True Faith, do new Order), tem também o dos dias ruins...

Nem sei que fim deu essa banda, só me lembro de ter 15/16 anos e de ver um vídeo na MTV e comprar o CD. Enfim, depois a banda marcou por um motivo especial... e, quase dez anos depois, essa musiquinha acabou ficando.


Enfim, tá FODA. E minha TPM "cair" nessa semana não vai ajudar em nada.

PRECISO de férias pra ontem. E preciso aproveitar bem, que esse ano não vai ser fácil não... ou eu dou um jeito de lidar com isso de uma vez por todas ou eu surto de vez. Sério.


AIÉ. Resultado do Cambridge ESOL Examinations amanhã. E o fato de eu formar semestre que vem meio (que completamente) depende disso. Enfim, desejem-me sorte.


2011



2011

2+0+1+1=4

Confesso que, há algum tempo (provavelmente desde que eu comecei a trabalhar e, consequentemente, não ter mais fim de ano - pelo menos até 2009), eu não me lembro de ter feito rituais de ano novo... no máximo, escolho a cor da roupa (ou melhor, procuro uma roupa que não seja preta ou marrom). Mas sempre, e não só nessa época do ano, eu presto atenção nos números. E, até o primeiro dia desse ano, não tinha pensado em nada especial em relação a 2011.

1/1/11. 1+1+1+1=4. E a soma dos algarismos que compõem o número/nome desse ano é exatamente a mesma. Não sei das previsões pra 2011, não olhei meu horóscopo, muito menos qualquer coisa sobre numerologia. Mas assim que vi que o resultado dessas duas somas era o número 4, de repente, tudo começou a fazer sentido.


pq eu me lembrei da primeira vez que eu ouvi algo especial sobre esse número. Faz quase dez anos, e eu estava numa sessão de terapia quando ele apareceu (se eu não me engano, foi num dia de caixa de areia... eu tinha disposto vários elementos em grupos de quatro). Minha terapeuta me disse que o 4 é o número da totalidade. De acordo com a Bíblia, representa um sinal de plenitude... mas o que ficou, pra mim, do que ela me disse aquele dia, é que o número 4 representa o fim de um ciclo.

Daí eu me lembrei do que a namorada do meu pai me disse quando desejávamos feliz ano novo uma pra outra por telefone, que esse ano seria especialmente significativo pra mim por causa da minha formatura, coisa que eu, curtindo recesso de fim de ano pela primeira vez, por uns dias, tinha esquecido. Então comecei a fazer uma retrospectiva não só de 2010, mas dos ciclos que eu conseguia me lembrar de já ter passado. Há dez anos, provavelmente foi o fim da convivência com meu pai sob o mesmo teto. Depois veio a faculdade, a decisão da mudança de curso depois de um ano, os dois anos e meio de estudo e a mudança de opção de curso no vestibular para conseguir entrar na UnB, em 2006; ano em que eu também comecei a prestar concursos públicos e passei em dois e escolhi a Cultura, onde eu tô até hoje. E ó, 2+0+0+6=8 e 8=2x4; são dois ciclos completos. Além de que, esse ano eu completo 26 anos de idade... 2+6=8...


Assim, creio que 2011 vá ser não exatamente o ano da minha vida ou um “ano que não pode mais dar errado porque no último já teve merda suficiente”, mas sim um ano de conclusão. É o ano em que eu chegarei ao fim de mais uma jornada, em que eu colherei os frutos que eu plantei ao percorrer esse caminho que eu escolhi e verei se, no fim das contas, eu soube cultivar cada semente que eu encontrei, inclusive de acordo com o clima, bom ou ruim, que se apresentou em cada trecho do meu percurso...


Os últimos dois anos em especial foram os mais difíceis.

Em 2009, eu tive que aceitar que, sim, eu tinha crescido. Vi-me esgotada pelas obrigações e com medo de que certas coisas nunca mais fossem como antes e, principalmente, de me perder no meio disso tudo. Até que um dia eu tomei um trem (na verdade, e literalmente, um metrô; mais especificamente, um vagão) e decidi me perder no meio de outra coisa... no meio da irresponsabilidade, da loucura, da intensidade, do prazer, no fim das contas...

E, somente no fim de 2010, eu percebi do que senti tanta falta nesse ano. Prazer.

[...]

Em 2009 eu tive que encarar o meu crescimento. Em 2010 eu tive que me encarar. Começar a descobrir a verdade sobre mim mesma... E, no fim das contas, o problema não tava na minha vida, mas sim no modo que eu a encarava. Uma das minhas frases em 2010 foi algo do tipo “eu não consigo lidar com isso”... outra foi “tá tudo errado”, seguida por “não era esse o plano”.


[...]


E é basicamente isso que eu quero pra 2011. Terminar esse ciclo e, no final dele, descobrir um pouco mais sobre mim.


Quero lembrar a mim mesma que sim, eu sou jovem ainda e, ao mesmo tempo, aceitar minha maturidade e aproveitar o aprendizado que eu adquiri através das minhas experiências... Apesar de ter passado por coisas que, muitas vezes, eu quis esquecer porque era TÃO insuportável, eu jamais voltaria no tempo a fim de encontrar novamente dias mais calmos. Uma das coisas que eu aprendi é que TUDO tem uma razão de ser, mesmo que a gente demore a descobrir o motivo.

Quero cuidar mais de mim... Quero ser minha melhor amiga. Quero cuidar melhor do meu corpo, mente e espírito...

Quero parar de implicar com as terças-feiras. E que as pequenas coisas do dia-a-dia voltem a ser simplesmente as pequenas coisas do dia-a-dia e não mais “as pequenas coisas que conseguem transformar seu dia numa baita merda”.

Quero voltar a sentir prazer, paixão, amor...


Eu só quero VIVER.


Decidi passar a varada em casa, longe de gente, balada e bebida, para, entre outros motivos, principalmente, refletir sobre o ano que passou. E só HOJE eu consegui terminar minha reflexão... O post de hoje é só 1/3 do que eu escrevi (4 páginas no Word, ou 2212 palavras)... os outros 2/3 é pessoal demais; uma conversa que eu precisava ter comigo mesma. Mas posso dizer que, no fim das contas, depois de quatro (4, viram?) dias, as coisas boas de 2010 pesaram mais na balança (por pouco, mas pesaram)...

É com diz uma passagem que eu li hoje no livro que eu tô lendo agora, Comer, Rezar, Amar:
"I've been screwed and sued and tatooed, and I'm still standin' here in front of you..."


Feliz 2011, pra mim e pra todos nós... e, MUITO obrigada a todos que não só passaram aqui, sempre e, especialmente ano passado, e deixaram sua marca no meu cantinho... significou MUITO pra mim... especialmente nos meses mais difíceis (julho a setembro) :')



B-jim p/ todos,
Nádia!!!...
=***