Momento #amúsicaescolheapessoa do dia

Um amigo muito querido me mandou esse novo do Slash semana e eu viciei nessa música; não consigo parar de ouvir... ADOREI os dois juntos, conheci Alter Bridge esse ano virei fã, apesar de não ser fã de bandas "novas".





"In the distance light years from tomorrow
Far beyond yesterday
She is watching, heart aching with sorrow
She is broken, as she waits
"

Agosto

Eu não tenho dúvida alguma. Mês de merda, que vai me sacanear até o último dia. Sabe quando você pensa que tá tudo tão ruim, mas TÃO ruim, que não tem como piorar?! Acredite: tem, E COMO tem!

Volto se sobreviver a esse mês. Adeus.

www.dormir.final






Só MAIS UMA SEMANA.

CREDENCE CLEARWATER REVISITED@Brasília

CREDENCE CLEARWATER REVISITED - Brasília

Auditório Master
Centro de Convenções Ulisses Guimarães – Dia 21 de novembro
A lengedária banda do rock & roll dos anos 70 faz um show inesquecível e inédito na capital federal:

Creedence Clearwater Revisited
Stu Cook e Doug "Cosmo" podem não ter tido a intenção, mas o Creedence Clearwater Revisited acabou adquirindo vida própria. Os dois integrantes originais remanescentes do lendário grupo Creedence Clearwater Revival iniciaram o projeto Creedence Clearwater Revisited em 1995, com o objetivo de retomar os grandes clássicos que ficaram para trás, com a versão original da banda.
Embora a dupla tenha planejado apenas apresentações mais íntimas e menores, atualmente o Creedence Clearwater Revisited se apresenta cerca de 100 vezes por ano e lançou o álbum “Recollection”. "Nós realmente nunca tivemos qualquer intenção de tocar para um público tão grande", conta Stu. "Mas um amigo queria promover alguns shows. Conversamos sobre o assunto, começamos a tocar e jamais imaginamos que essas poucas apresentações tornar-se-iam tão grandiosas”.
Desde então, a reação dos fãs do Creedence Clearwater Revisited tem sido cada vez mais surpreendente, impulsionada em parte por uma geração de crianças que, como diz Cosmo "nem sequer eram nascidos quando as músicas foram lançadas". Da mesma forma, o lançamento de um CD duplo ao vivo que apresenta versões de 22 clássicos - foi o resultado da demanda pública. "Foi gerado pelos pedidos das pessoas que foram aos nossos shows", Stu reconhece. E a demanda foi tão grande que “Recollection” provou sua popularidade ganhando um disco de ouro em 2002 e já está muito perto agora do disco de platina.
A banda já viajou pela América do Norte, América do Sul, Nova Zelândia, Europa e Ásia, quebrando recordes de público com uma mistura impressionante e embalada de clássicos, do Creedence Clearwater Revival, músicas que até hoje são hits nas rádios e trilhas sonoras de filmes. Entre elas estão: “Proud Mary”, “Suzie Q”, “Bad Moon Rising” e “Have You Ever Seen the Rain?”. O Creedence Clearwater Revisited percorreu um longo caminho. "No começo, Cosmo e eu decidimos que, se pudéssemos encontrar os músicos que pudessem captar o som e recriar o que a nossa música foi no passado, nós seguiríamos em frente", recorda Stu. E eles encontraram: o vocalista / guitarrista John Tristao, o guitarrista Tal Morris, além do multi-instrumentista Steve Gunner. Com esta nova formação, Stu e Cosmo e sua banda Creedence Clearwater Revisited adicionam um novo capítulo ao seu legado com energia vibrante e emocionante.

LINE-UP
Doug Clifford - bateria
Stu Cook - baixo
Steve Gunner - teclado, violão, gaita e percussão
Tal Morris - guitarra
John Tristao – vocal e guitarra


Censura: 16 anos
Duração Aproximada do evento:
02 horas

Fonte:  Live Pass

 

Pois bem. Vou falir. Não sei como vocês em Sampa vivem com TANTO show, um atrás do outro.

O fato é que NUNCA aconteceu isso em Brasília e esse ano é, no mínimo, atípico. E como a gente não sabe se Brasília vai acabar entrando de vez na rota de shows internacionais, a gente tem que aproveitar, sabe?!


E eu acabei de entrar numa vibe Creedence e daí eles vê em novembro. E, depois de perder Uriah Heep em 2006 por não ter ficado sabendo a tempo e depois John Lawton em 2008 por besteira (meu ex, com quem eu fiquei sem falar dois anos, tocava num cover de Uriah Heep que ia abrir o show) não posso deixar de conferir outro clássico dos anos 70 na minha cidade, mesmo que não se trate da formação original (coisa difícil quando se trata de bandas com tanto tempo de carreira).


Ano que vem eu faço uma poupança só pra shows, sério mesmo o.O


*Hoje não vai rolar vídeo pq tô no trampo e o You Tube aqui é bloqueado (y)

Das cinzas

No mais, ligações inesperadas (na verdade eu esperava sim, mas não tão cedo) domingo à noite... fiquei sem ação... na verdade fiquei tremendo e me sentindo ridícula com o quanto é difícil de me controlar só de pensar na proximidade... mas só de saber que há uma possibilidade de pôr os últimos pingos nos "is". E que sejam os últimos MESMO, isso de perder a dignidade só tem graça em relação a bebedeira, na vida real não passa de uma p*** brincadeira de mal gosto da qual eu já cansei há MUITO tempo... de tanto machucado e ferida uma hora eu não vou mais conseguir levantar. Chega, tem limite pra tudo; e eu quero que isso fique BEM claro. Enfim, só não vejo a hora de tirar esse peso de cima dos meus ombros e que tá esmagando meu coração... Eu te sepultei uma vez e você voltou em carne, osso e olhos dourados, como uma fênix renascida das cinzas. Agora é hora de jogar essas cinzas ao vento. Vai e me deixa ir. É melhor.

Dreams

Quem vai ouvir isso ao vivo e DE PERTINHO levanta a mão o/

O homem da minha vida...

... SEMPRE vai ser ele.


pq só MEU PAI mesmo pra despencar comigo pra Manaus porque eu queria ir pro show do Whitesnake (pq, LÓGICO, eu não iria sozinha pra uma cidade completamente desconhecida a mais de 1000 km de casa)

ele sequer conseguia pronunciar o nome da banda, achou o show meio barulhento, mas gostou da experiência (não é todo pai que tem uma filha com tamanho bom gosto musical e que paga pra ele um ingresso pra uma das melhores bandas de hard rock do Universo) e disse que valeu a pena pq EU tava feliz! Depois eu dei o Starkers In Tokio (acústico do WS) pra ele não ter do que reclamar HuAhUaHuAhUauAhUa


LÓGICO que meu pai fez e faz MUITO mais por mim, mas essa história em particular é digna de ser contada pros meus filhos (SE eu dia eu tiver um).



Passada rápida pq meu pai merece. No mais, ando completamente sem tempo. Aí chega agosto pra f**** tudo de vez... qaundo eu puder voltar a viver conto tudo com calma.

Agora, trabalho da faculdade acumulado me esperando. Sorte que eu consegui um prazo de mais uma semana valendo 90% da menção o que eu acho ótimo, pq se tivesse que entregar isso amanhã mesmo não valeria nem metade disso o.O


Adeus (drama mode ON), até algum dia!