sete de setembro

"Fim de tarde. Dia banal, terça, quarta-feira. Eu estava me sentindo muito triste. Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais, até mesmo um pouco chato. Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste? Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente, com alguns relâmpagos de catástrofe futura. Projeções: e amanhã, e depois?"

[Caio Fernando Abreu]



Não sei por que mas, há alguns anos, o sete de setembro tem sido pra mim o primeiro dia da contagem regressiva pro fim do ano... parece que, depois dele, o ano voa e, de repente, já é Natal. Pra mim, é época de fazer um primeiro balanço e ver o que ainda pode ser feito pro ano valer a pena.

Pensei que 2010, só pelo fato de não ser 2009, já seria ótimo. Mas a única vantagem desse ano em relação ao ano passado é que ele tá passando mais rápido; o que, num certo aspecto, é bem ruim, já que consequentemente eu vou ficar velha mais rápido... e ter 25 já tá bem ruim, imagina 26. Lógico, vendo pelo lado prático da coisa, eu não poderia reclamar da vida... mudei de setor no trabalho e além de não estar batendo ponto agora só trabalho seis horas; ir pra UnB ainda é insuportável, mas esse semestre o que não me faltou foi companhia; tenho amigas que me amam e que sentem falta e sempre me demonstram isso mesmo eu sendo a pessoa mais relapsa do mundo e, há algumas semanas, tivemos uma surpresa maravilhosa na família.

Mas aqui dentro, tudo o que me resta é dor e esperança; esperança de que um dia a dor vá embora - SIM, essa frase é de uma música mas nada que eu mesma dissesse poderia definir melhor como eu me sinto.
1 Response
  1. Yaciara Says:

    Os anos passam mas certas coisas acompanham, isso é fato. O que me consola nas situações é que por mais tempo que elas durem, elas sempre passam. Pode parecer nada consolador, mas isso me conforta. Vai passar, vc vai ver. Beijo