"Confessions of a shopaholic"


Engraçado como esses dias quase comprei o DVD desse filme pelo Submarino; acabei deixando pra depois pra pegar uma promoção com frete grátis e, quando fui ver novamente, não tava mais disponível!


Quem me conhece bem sabe que eu ADORO o que eu chamo carinhosamente de "livros de mulher encalhada"; os que viram filme, então o/

O que mais me atraiu em Becky Bloom foi a ironia no fato de ela trabalhar com finanças e não saber controlar seus próprios gastos por causa daquelas comprinhas "básicas", exatamente como, ãh, EU (devia adotar também o hábito de beber tequila na hora que chegam as contas, HAHAHA!)!


Hoje eu já aprendi a controlar BEM mais o impulso (com exceção talvez das liquidações da Ávida - aquela cena dela brigando pelas botas Pucci sou eu na Ávida! - e das promoções de livros e DVDs no Submarino - essa semana acabei comprando a 1ª temporada do Gossip Girl, apesar de ainda ter umas cinco temporadas de seriados variados esperando pra serem assistidos) e a fazer comprar compras direito... ou seja, parei com o barato que sai caro e invisto meu dinheiro comprando o melhor que ele me permite. Assim, faço por volta de umas duas ou três boas compras grandes durante o ano (um pouco mais de sapatos; também me identifico com a Carrie Bradshaw, rs): uma durante a liquidação de começo de ano e outra na liquidação de inverno. Mas, nesse ano em particular, tive que renovar o guarda-roupa de praia (que era praticamente inexistente, visto que eu só vou uma vez ao ano - não uso piscina, evito por causa do cabelo - e passo só uma semana) e o de trabalho (mudei de setor há um mês e no novo local o visual é mais formal); ou seja, já gastei bem mais do que eu pretendia. Mas. Não aguentei esperar a liquidação de inverno. Afinal, já faz uns dois anos que eu não compro uma bota...

(In)felizmente, eu não trabalho mais a duas quadras de um shopping (um dos motivos por eu ter parado de comprar por impulso). Então, mesmo que eu esteja "precisando", a dificuldade de ir a um shopping no dia-a-dia com tempo suficiente pra fazer uma boa compra acaba me desanimando... Mas. Quando é pra ser, a divina providência interfere...


Acontece que meu oftalmologista fica justamente no prédio desse shopping próximo ao meu antigo local de trabalho. E, diferentemente da última vez, agora eu tive que dilatar a pupila. O médico disse que eu não poderia trabalhar e me deu um atestado. E, como eu tava só e não ia conseguir pegar um ônibus pra ir pra casa tão cedo, decidi dar um tempo no shopping. E. Confesso que, no fim das contas, acabei não comprando a(s) bota(s)  - sapato NUNCA é demais, gentem. Todo mundo sabe que, quando a gente sai pra comprar alguma coisa específica, compra TUDO... menos o que você pretendia no começo o.O


Bem, minha intenção hoje era procurar uma summer boot com tachinhas, repor o estoque de absorvente, comprar meu sabontete líquido e uma caixa de alfinetes pra enfeitar a baia do meu novo local de trabalho com fotinhas. E, se sobrasse dinheiro, um blazer verde modernoso que eu comecei a namorar há dois dias mas que tava meio carinho... mas que era uma peça que daria MUITO mais estilo a qualquer roupa, então valia a pena.

E minha confissão de shopaholic de hoje é que eu comprei...
... meus olhos dourados;
... três sapatos numa liquidação da Ávida fora de época;
... cinco blusas que dão pra trabalhar e ir pra UnB, dilemão que eu tava enfrentando;
... um vestido preto que dá pra trabalhar e sair pra dançar (afinal, retomo as aulas de zouk/salsa e começo dança do ventre semana que vem - iria começar amanhã/hoje, mas é dia de mutirão de vacinação);
... metade dos acessórios da coleção da Nicole Pussycat lá da C&A;
... uma bolsa preta, coisa que eu não comprava desde que eu entrei na UnB;
... uma jaqueta perfecto de couro sintético.


E fazia tempo que eu não me sentia TÃO bem! Hoje eu já não sinto a culpa que sentia antes. Tenho orgulho de mim mesma ao ver o quanto eu aprendo mais a cada dia a fazer boas compras... Pesa no bolso, mas às vezes é necessário. Tem gente que acha futilidade, mas eu particularmente não me sinto bem se não estiver bem vestida e com estilo. Que me chamem de consumista, patricinha, mulherzinha... Que me olhem de cima a baixo como seu eu não fizesse mais nada na vida além disso. Só espero que essas pessoas estejam tão bem resolvidas nesse quesito quanto eu. O dinheiro é MEU e sou EU que tou pagando minhas contas. Ponto. E quem joga no mesmo time, toca aqui e comecem suas confissões também! ;)


1 Response
  1. É Nádia....quem nunca comprou por impulso que a tire a 1ª pedra, rsrsr!

    Olha eu confesso que nunca fui mto consumista no quesito roupas, sapatos, eu gastava msmo era com cds, DVDS e acessórios. Sou fã de peças coringas, aquelas que vão bem no trabalho e na balada, bastando mudar um pouco a produção.

    Hoje eu me seguro mais na hora das compras, passo longe do shopping qndo estou chateada, ansiosa.... pq é horrível qndo a fatura chega e vc tem que pagar o mínimo, uma sensação de querer bater a cabeça na parede surge ñ sei de onde, rsrs!

    Bjoks, ótimo domingo! =)